segunda-feira, 30 de março de 2009

quinta-feira, 26 de março de 2009

PRÓXIMOS TEMAS - planeamento

Acrescentei de lado um espaço com os próximos temas de que conto falar, sem avançar datas previstas porque nem sempre me seria possível cumpri-las, mas tentando ordená-los pela ordem com que irei explorar esses temas.
Com isto, não quero dizer que não possa fazer alterações se entretanto surgir um tema mais pertinente ou que surja na sequência de um debate que esteja a ocorrer. Inclusive, poderei colocar uns vídeos entre temas, porque me pareceu uma iniciativa que o pessoal gostou bastante.
Seja como for, ali está algum planeamento dentro do que é possível.
Nesse sentido, sugiro-vos mais uma vez que contribuam com temas que queiram ver aqui debatidos/esclarecidos porque, como repetidamente digo, este espaço também é vosso. Mesmo que sejam dúvidas que vos pareçam básicas, não hesitem em pô-las, porque podem ser as dúvidas de outras pessoas também...

terça-feira, 24 de março de 2009

VÍDEO 8 - análise

Ora houve aqui um anónimo que falou muito bem... Vejamos:

1º CASO

7:5 É permitido passar a bola de uma mão para a outra.

Não há 2 toques, apenas a passagem da bola de uma mão para a outra. Logo, lance LEGAL!

2º CASO

14:4 O lançamento de 7 metros será executado como um remate directo à baliza, dentro de 3 segundos que se seguem ao sinal de apito do árbitro central.

14:6 O executante ou um companheiro de equipa não podem jogar de novo a bola após a execução de um lançamento de 7 metros, até que a mesma toque um adversário ou a baliza.

15:2 O lançamento é considerado executado quando a bola abandona a mão do executante.

Aqui há 2 toques, o remate não foi directo! Logo, lance ILEGAL.

segunda-feira, 23 de março de 2009

quarta-feira, 18 de março de 2009

PRÓXIMOS TEMAS

Eu tinha apontado num papel os temas que já me tinham pedido para falar e outros que eu próprio já tinha planeado, mas não sei o que fiz dele. Em plena era digital até parece mal dizer isto, mas pronto... A questão é que agora não sei qual é a ordem em que eles estavam, nem sei se me lembro de todos.
Apresento a lista dos que me lembro (ordem possivelmente trocada), e peço-vos que me digam se me esqueci de algum (via comentário ou mail).
  1. Choques em contra-ataque
  2. Rasteiras
  3. Marcação de livres de 7m
  4. Bola fora / pé fora
  5. Execução de livres após final do tempo de jogo

Sei que havia outros, a lista ia em cerca de 6 ou 7...

Sugiram (e relembrem-me) temas que queiram ver aqui debatidos. Como disse muitas vezes, este blogue é feito por todos e para todos.

segunda-feira, 16 de março de 2009

LANÇAMENTO DE SAÍDA - esclarecimento

Acrescento aqui um ponto que foi focado num comentário do tópico anterior.
O lançamento de saída deve ser executado com um pé sobre a linha central, com 1,5m de tolerância para cada lado. Contudo, os árbitros deverão ser menos rigorosos em algumas situações. Transcrevo a regra e o Esclarecimento que tratam deste assunto.

10:3 O lançamento de saída é executado em qualquer direcção a partir do centro do terreno de jogo (com uma tolerância lateral de cerca de 1.5 metros). (...)
O jogador que executa o lançamento de saída deve estar com pelo menos um pé em contacto com a linha central e o outro pé sobre ou atrás da linha.


ESCLARECIMENTO Nº7

Como uma linha de orientação para a interpretação da Regra 10:3, os árbitros devem ter em conta o objectivo de encorajar as equipas a fazer uso de um lançamento de saída rápido.
(...)

Embora a regra estabeleça que o executante tem que pisar a linha central e estar com uma margem de tolerância de 1.5 metros do centro, os árbitros não devem ser excessivamente precisos nem tão pouco preocuparem-se com os centímetros.

(...)

Além disso, a maioria dos campos não têm o ponto central marcado, e alguns terrenos de jogo podem ter a linha central até mesmo interrompida devido a publicidade no centro. Em tais casos, o executante e o árbitro estão obrigados a estimar a posição correcta, e qualquer insistência na exactidão seria irrealista e inapropriada.

Esta imagem em cima mostra um pavilhão que seguiu a norma que saiu há uns anos, que sugeria a pintura a cor diferente de uma linha de 3m no centro do terreno, com 1,5m para cada lado.

sábado, 14 de março de 2009

LINHA DE MEIO CAMPO

Na sequência do que eu tinha dito há uns dias, este post será sobre a linha central e aquela circunferência que lá aparece pintada por vezes em torno do meio campo... Esta é a imagem de um campo de andebol e suas marcações, tal como consta do livro de regras:

Onde está a tal circunferência? Exactamente, NÃO ESTÁ! É algo que não existe para o andebol, mas pode ter sido pintada devido ao basquetebol, por exemplo. Mas também já vi pavilhões (e não são tão poucos quanto isso) em que só existem as marcações de andebol e a circunferência misteriosa aparece lá desenhada...

Poderá ter alguma utilidade se tiver 3 metros de RAIO e não de DIÂMETRO. Poderá facilitar a vida em alguns casos de reposição de bola ao meio campo, após golo, mas o facto é que essa linha não é suposto existir! Como já disse, quase todos os jogadores cuja posição é corrigida num lançamento de saída, dizem "Mas eu estava fora do círculo!", mas esse é um argumento não-válido. Muitas vezes, a circunferência está desenhada com um raio de 1,5m, o que coloca o jogador defensor demasiadamente perto do lançador.

Quanto ao local de reposição da bola, não tem de ser exactamente no centro do terreno, nem em qualquer extensão da linha central, mas sim no centro do terreno, com uma tolerância de 1,5m para cada lado, sobre a linha central. Excerto da regra 10:3:

10:3 O lançamento de saída é executado em qualquer direcção a partir do centro do terreno de jogo (com uma tolerância lateral de cerca de 1.5 metros). (...)

E complemento com excerto da regra 10:4:

10:4 (...) os adversários devem estar a pelo menos 3 metros do jogador que executa o lançamento de saída.

quinta-feira, 12 de março de 2009

VÍDEO 7 - Análise (Perg. 5 e 6)

Antes de mais, tenho de pedir desculpa por não estar a actualizar isto com a frequência que queria, mas às vezes os dias de 24h são curtos para mim...
Respondendo agora às perguntas 5 e 6.
Começo pela última, porque já abordei um pouco esta questão em outro post. Não penso que haja razão para parar o tempo nesta correcção. Justifico recorrendo ao livro de regras:

2:8 Um tempo de paragem é obrigatório quando:
a) exista uma exclusão de 2 minutos, desqualificação, ou expulsão;
b) é concedido tempo de paragem de equipa;
c) há um sinal de apito do Cronometrista ou do Delegado Técnico;
d) sejam necessárias consultas entre os árbitros de acordo com a Regra 17:7.

Um tempo de paragem é também atribuido normalmente em outras situações, dependendo das circunstâncias (ver Esclarecimento N.º 2).
E agora transcrevo parte do Esclarecimento nº2:

2. Tempo de Paragem (2:8)
Excepto as situações indicadas na Regra 2:8, onde um tempo de paragem é obrigatório, espera-se que os árbitros usem o seu próprio julgamento relativamente à necessidade dos tempos de paragem também noutras situações. Algumas situações típicas onde os tempos de paragem não são obrigatórios mas no entanto tendem a ser concedidos em circunstâncias normais:
a) se existem influências externas, por exemplo, a necessidade de limpar o terreno de jogo;
b) um jogador parece estar lesionado;
c) uma equipa está a tentar claramente fazer passar o tempo, por exemplo, quando uma equipa atrasa a execução de um lançamento ou uma reposição, ou quando um jogador lança a bola para longe ou a não a liberta;
d) se a bola toca o tecto ou qualquer parte da instalação sobre o terreno de jogo (11:1), e a bola é desviada de forma a ir para longe do local do lançamento resultante, causando um atraso não normal.
Para determinar a necessidade de um tempo de paragem nestas ou noutras situações, os árbitros devem levar em consideração em primeiro lugar se uma interrupção do jogo sem um tempo de paragem criaria uma desvantagem injusta para uma das equipas. Por exemplo, se uma equipa está a ganhar por uma margem muito clara quando falta pouco tempo para finalizar o jogo, então poderia não ser necessário fazer um tempo de paragem durante uma breve interrupção para limpar o terreno de jogo.
E chamo a atenção para este parágrafo, ainda pertencente ao Esclarecimento nº2:
De forma semelhante, se a equipa que seria prejudicada pela falta de um tempo de paragem é a equipa que, por alguma razão, está ela mesmo a causar uma demora ou a desperdiçar tempo, então é obvio não há nenhuma razão para conceder um tempo de paragem.

Ou seja, o árbitro considerou que a equipa causadora da demora era a que sairia beneficiada com a paragem do tempo. Agiu em conformidade com o livro, na minha opinião.
No que toca à possível sanção ao treinador, é uma atitude péssima da sua parte, mas a única coisa de que poderia ser alvo por parte do árbitro era de relatório escrito, e justifico:

Infracções Fora do Tempo de Jogo
16:14 O comportamento antidesportivo, conduta antidesportiva grave ou agressão por parte de um jogador ou oficial de equipa, que se cometam no local onde se realiza o jogo, mas fora do tempo de jogo, serão sancionadas da seguinte maneira:
(...)

Depois do jogo:
c) um relatório escrito.

terça-feira, 10 de março de 2009

VÍDEO 7 - Análise (Perg. 3 e 4) - cont.

Fui questionado sobre a questão de se marcar falta se o jogador sai e a bola não.
Ora, vou transcrever uma regra que explica em que situações se assinala lançamento lateral, e que é auto-explicativa:

11:1 Um lançamento de reposição em jogo é ordenado quando a bola cruzou completamente a linha lateral, ou quando um jogador de campo da equipa que defende foi a último a tocar a bola antes desta cruzar a sua própria linha saída de baliza da sua equipa. (...)
Como a regra diz, só se marca lançamento lateral quando é A BOLA a cruzar a linha!
Logo à noite ou amanhã deixo aqui a análise às perguntas 5 e 6.

segunda-feira, 9 de março de 2009

VÍDEO 7 - Análise (Perg. 3 e 4)

Respondo a estas questões no mesmo texto, porque estão muito ligadas.

Vamos separar a questão por partes.
Primeiro, o árbitro não tem de parar o tempo neste caso. O critério para correcção do local de faltas tem de se manter do início ao fim do jogo, e durante o jogo não se pára o tempo para o fazer. Seria diferente, talvez, se fosse a Noruega a repôr a bola (perda de tempo?).
Depois, é preciso saber o que o árbitro marcou. Marcou atacante? Passos? Se sim, então a correcção foi claro excesso de zelo, porque não é 1 metro que faz diferença, e além disso o passe não foi feito para um jogador isolado. Se diz que o jogador está fora do terreno ou que a bola saiu, então é preciso analisar o seguinte: marcou lançamento lateral ou falta dentro do campo? O correcto é marcar lançamento lateral se a bola sai e falta dentro do campo se os pés saem e a bola não...

A mim, parece que a bola não sai e que o árbitro, na correcção, exige que o lançamento seja feito com o pé sobre a linha. A imagem seguinte mostra que o árbitro explica a sua decisão mostrando o gesto de ter indicado lançamento lateral.

Ora, se a bola sai, a correcção faz todo o sentido e o árbitro foi extremamente corajoso nas 2 correcções que fez. Se a bola não sai e ele assinala lançamento lateral por o jogador ter os pés fora, então é uma falha grave com claro prejuízo para a Alemanha.

quinta-feira, 5 de março de 2009

VÍDEO 7 - Análise (Perg. 1 e 2)

Gostei de ver alguma discussão pelas situações que apresentei. Apenas acho que podia haver mais gente a participar, pois hoje ainda o dia não acabou e já passámos as 45 visitas e poucos escrevem. Acho que todos ganharíamos com mais opiniões...

Passando às questões:
  1. Aqui parece-me um claro exagero da parte do árbitro. A única explicação possível, a meu ver, é um empurrão no acto de remate. Mas nem o empurrão é forte, nem o momento do jogo é propício a erros por precipitações do árbitro.
  2. No lançamento de saída, há um claro desrespeito pela distância de 3m, e o resto é correcto. O árbitro apita neste momento:

O círculo tem 3m de DIÂMETRO e não de RAIO! Logo, o jogador que está na extremidade da linha também está mal posicionado. Aqui faço uma ressalva às marcações dos campos... não está escrito em parte nenhuma que tem de haver uma circunferência! Voltarei a este tema, e desenvolvê-lo-ei, após as análises às 6 perguntas que coloquei.
A nível do posicionamento dos jogadores "vermelhos" está tudo correcto, atrás da linha do meio campo. Podem atravessar a linha a partir do MOMENTO DO APITO do árbitro. O passe é feito neste momento:

Os jogadores dentro dos círculos vermelhos estão muito mal posicionados e o atacante, dentro do círculo verde está posicionado de forma correcta!

Esta é a análise a 2 questões. As próximas seguem nos próximos dias.

quarta-feira, 4 de março de 2009

VÍDEO 7

Mais uma vez vos peço que sejam árbitros. Comentem o seguinte lance e como o decidiriam, nomeadamente:
  1. A exclusão aos 59m44 é correcta?
  2. O recomeço do jogo no meio campo é feito de forma correcta?
  3. Que infracção foi assinalada aos 59m48?
  4. A correcção é correcta?
  5. O treinador alemão, Heiner Brand, deve ser punido pelo gesto? Como?
  6. Heiner Brand tem razão ao reclamar a paragem do tempo de jogo?

São muitas perguntas, mas durante um jogo somos permanentemente bombardeados com estas situações... Ficaria muito feliz se vocês sentissem um pouco a dificuldade do nosso trabalho, mesmo que vocês tenham aqui repetições... :)

video