sábado, 14 de março de 2009

LINHA DE MEIO CAMPO

Na sequência do que eu tinha dito há uns dias, este post será sobre a linha central e aquela circunferência que lá aparece pintada por vezes em torno do meio campo... Esta é a imagem de um campo de andebol e suas marcações, tal como consta do livro de regras:

Onde está a tal circunferência? Exactamente, NÃO ESTÁ! É algo que não existe para o andebol, mas pode ter sido pintada devido ao basquetebol, por exemplo. Mas também já vi pavilhões (e não são tão poucos quanto isso) em que só existem as marcações de andebol e a circunferência misteriosa aparece lá desenhada...

Poderá ter alguma utilidade se tiver 3 metros de RAIO e não de DIÂMETRO. Poderá facilitar a vida em alguns casos de reposição de bola ao meio campo, após golo, mas o facto é que essa linha não é suposto existir! Como já disse, quase todos os jogadores cuja posição é corrigida num lançamento de saída, dizem "Mas eu estava fora do círculo!", mas esse é um argumento não-válido. Muitas vezes, a circunferência está desenhada com um raio de 1,5m, o que coloca o jogador defensor demasiadamente perto do lançador.

Quanto ao local de reposição da bola, não tem de ser exactamente no centro do terreno, nem em qualquer extensão da linha central, mas sim no centro do terreno, com uma tolerância de 1,5m para cada lado, sobre a linha central. Excerto da regra 10:3:

10:3 O lançamento de saída é executado em qualquer direcção a partir do centro do terreno de jogo (com uma tolerância lateral de cerca de 1.5 metros). (...)

E complemento com excerto da regra 10:4:

10:4 (...) os adversários devem estar a pelo menos 3 metros do jogador que executa o lançamento de saída.

7 comentários:

Pedro Tomaz disse...

Por acaso ja me tinha apercebido disso . :P

Por exemplo, tal como no meu pavilhao, que o amigo Capela conhece bem, está lá a circunferencia de publicidade, que eu sei que nao tem 3 metros de raio (terá de diametro?). Embora no decorrer de um jogo nós utilizemos como argumento para com os arbitros essa distancia ilusória.

Muitas vezes, e erradamente talvez, aquando da recuperaçao defensiva apos a marcaçao de um golo, ao passar pelo centro, passo no limite da circunferencia(partindo do principio que ela é o limite da distancia que tenho de dar ao jogador adversario que vai repor a bola em jogo), o que qualquer dia ainda me provoca um desgosto. =|

;)

Abraço

Emanuel disse...

Por Exemplo hoje fui apitar a um pavilhão onde o "tal circulo" tinha mesmo os 3m de raio com um circunscrito um com o raio de 1.5m, o da Juv Lis

Carlos Capela disse...

É exactamente isso que eu digo, Pedro! Os jogadores têm tendência a usar aquela circunferência, que muitas vezes não obedece a nenhuma medida concreta! Qualquer dia corre-te mal... :D

Mediste, Emanuel? :) A questão é que não sabes se essas medidas estão mesmo certas... e tem um circunscrito? Não percebi, desculpa...

Anónimo disse...

Felicito pelo criação deste Blog. Uma boa iniciativa.
Já conhece este ? http://andeblogdoruiviana.blogspot.com/

Rui disse...

Fiquei com uma duvida a reposição de bola terá de ser obrigatoriamene com um pé a pisar a linha central, certo? (acho que é assim)

Mas agora gostava de saber qual a sanção disciplinar aplicada a um defensor que esteja demasiado perto do jogador que esteja a fazer a reposição? Normalmente, e com bastante inteligência por parte do jogador que está a fazer a reposição, esse mesmo lança a bola contra o defensor que está a menos de 3 metros, qual a sanção para o defensor?
Na minha opinião, e pelo que todos dizem, a sanção são os 2 minutos para o defensor, mas gostava de confirmar.
Já que é raro o árbitro dar 2 minutos ao defensor. Sou jogador e quase todos os jogos acontece e os árbitros pedem a repetição da reposição sem alicar nenhuma sanção.
Em 10 árbitros apenas 1 deve sancionar num caso destes. (penso eu, pois é raro ver uma sanção nestes casos)
Lembro-me de um jogo arbitrado por o Sr. capela em que nao aplicou nenhuma sanção num caso deste género, gostava de saber a sua opinião ;)

Continuação de um bom trabalho com o blog, tem sido muito útil parabéns :)

Carlos Capela disse...

Rui, fiz um post sobre a reposição ao meio campo...
Quanto ao resto, a minha opinião é a seguinte. Não entendo que um jogador que tenta sacar uma exclusão dessa maneira esteja a ter uma atitude inteligente. Acho que está a ser "rato" (sem querer ofender!) e explorar uma possível reacção do árbitro.
Ora, se o defensor tem intenção de interferir no jogo tem de ser obrigatoriamente excluído. Se é claro que o defensor é alvo de uma tentativa do atacante para o pôr na rua, não excluo o defensor, se este não manifestar qualquer intenção de interferir no lance! Acho que isto é agir um bocadinho com má fé, às vezes, e assim eu não sei estar em campo. Logo, não gosto que outros ajam assim... Espero ter esclarecido o meu ponto de vista.

Se calhar nesse jogo, eu pensei desta forma! É o mais certo! :)

Continua a passar cá...
Um abraço.

Rui Viana disse...

Alguém anda a fazer serviço gratuito de promoção ao meu blog e veio cá para da-lo a conhecer.
Agradeço ao anónimo pela gentileza, tal como agradeço ao Senhor Carlos Capela pela sua visita.
Fico contente por saber que há arbitros que não têm problemas em falar abertamente sobre as questões técnicas da arbitragem.
Para nós que estamos a começar estas informações são muito importantes.
Vou continuar a vir por cá, eh eh eh!